Aureo Salles de Barros: de pai para filho

 “A excelência nos negócios requer postura ética e eficaz de seus colaboradores"

Em 1938, Amando Salles de Barros fundava a A.Salles & Cia. Ltda., empresa dedicada aos negócios de refrigeração e importação de aparelhos eletromecânicos, basicamente ventiladores, unidades frigoríficas, geladeiras, serviços de reparos e instalação de câmaras frias. 

Natural de Pernambuco, Amando Salles de Barros migrou aos 16 anos para a capital carioca e lá aos 30 anos, constitui família. Pai de três filhos, Aurea, Aureo e Liete, sempre procurou incentivá-los a tomar gosto pelos negócios da família. Empreendedor, Amando Salles foi ganhando credibilidade gerando negócios em vários segmentos, em especial na instalação e reparos de geladeiras e câmaras frias para os grandes matadouros do Rio de Janeiro.

Desde pequeno, Áureo Salles de Barros acompanhava o pai na empresa durante as férias escolares e aos 21 anos já fazia parte do quadro societário da A.Salles, comandando junto com o pai e sua irmã Aurea, cerca de 15 funcionários.

“Logo após o pós-guerra meu pai começou a fabricar geladeiras de madeira, que algumas ainda eram com blocos de gelo para resfriar bebidas em bares e restaurantes. Nesta época havia dificuldade de importação de máquinas frigoríficas, e a maioria dos sistemas de resfriamento era com os blocos de gelo. A A.Salles também atendia a matadouros no Rio de Janeiro instalando câmaras frias para a armazenagem de carnes, e montava os tanques de salmoura para o resfriamento de leite e fabricação de seus derivados”, lembra Aureo.

Em 1962 a A.Salles começou a fazer instalações com equipamentos do tipo self-contained, importados dos EUA, marca FRICK e Fedders, entrando no mercado de ar condicionado.
“A A.Salles iniciou neste segmento, pois alguns clientes do meu pai pediam para ele ajudar a instalar o ar condicionado em suas residências. Diante dessa possibilidade, meu pai começou a pesquisar, estudar e se especializou, foi então nesta época que comecei a atuar na A.Salles e me entusiasmei com as instalações de ar condicionado para conforto, principalmente, porque a área de câmaras frigoríficas era muito desafiadora em termos de assistência técnica”, conta.

Assim, Aureo assumiu junto com seu pai os negócios, cursou engenharia mecânica e se dedica à empresa até hoje.

“Eu sempre gostei muito de mecânica, é uma área que exige constante atualização, cada projeto exige um estudo específico e isso me interessava bastante, cada obra é como se estivéssemos iniciando um novo aprendizado e acompanhar meu pai me deixava muito feliz, pois ele era um homem excepcional com todos. Foi um processo muito natural o de me encantar cada vez mais com o segmento de ar condicionado”.

Aureo lembra com muito bom humor a primeira instalação que participou.

“A primeira obra é inesquecível! Foi à câmara mortuária para a Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro. Fizemos toda a montagem e instalação, em alvenaria com isolamento térmico de cortiça colada com asfalto quente e revestida com chapa de aço inoxidável, conjunto frigorífico e difusores de frio. Depois fizemos outra câmara para o Hospital Salgado Filho. A parte desafiadora era quando tínhamos que resolver alguns problemas na operação das mesmas e quando eu fazia o atendimento, deparava frente a frente com cadáveres, não era tarefa fácil não”, comenta sorrindo Aureo.

Obras inovadoras

Aureo diz que algumas obras foram inovadoras, como a do Supermercado Bon Marché Tijuca, primeira instalação de chiller por absorção a gás natural em supermercados, que lhe rendeu o prêmio “Destaques do Ano” da Smacna Brasil em 2000. Em parceira com a CEG - Cia. Distribuidora de Gás - RJ, realizou inúmeras instalações de climatização a gás natural no Rio de Janeiro.

“Em 1988, a convite da Hitachi, fomos ao Japão e lá tive o primeiro contato com os equipamentos por absorção operando em grandes edificações. Após anos, começavam a surgir as primeiras instalações a gás natural com fonte energética no Brasil. Os equipamentos por absorção eram importados e as companhias de distribuição de gás natural, como a CEG aqui no Rio de Janeiro, nos davam suporte para aplicação. O presidente do Grupo Sendas, Arthur A. Sendas, ficou tão satisfeito com o resultado que começou a implantar o sistema em outras lojas. Essa obra foi nosso cartão de visita na aplicação de climatização a gás natural nos dando oportunidade de participar de obras como a Loja de Conveniência Posto GNV – CEG, Hotel Royality - Barra da Tijuca, Hotel Atlântico Sul - Recreio dos Bandeirantes, Shopping Center da Gávea, entre outras. Foi muito importante. Fizemos as lojas do Supermercado Prezunic e Mundial, que também nos rendeu o prêmio Smacna em 2001, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro em 2002, Centro Coreográfico do Rio de Janeiro em 2004. Nossa primeira obra premiada pela Smacna foi em 1999, a Audi Automóveis - Centro de Excelência”, tendo em todas a participação técnica do sócio Dilson Carneiro de Freitas e equipe técnico-administrativa”, diz Aureo.

Sobre as principais mudanças do setor de climatização, Aureo diz que a mais marcante em seus quase 60 anos de atuação no ar condicionado, foi a introdução dos equipamentos do tipo split e dos sistemas VRF, uma mudança de paradigmas para o mercado.

“A introdução dos equipamentos do tipo split provocou uma grande mudança para o segmento. Mudou toda uma forma de pensar os projetos e instalações. Para instalações grandes especificavam-se os chillers, instalações de médio e pequeno porte, especificam-se os equipamentos self-containeds e era assim. Foi realmente uma mudança radical. Uma grande contribuição para o nosso mercado foi a fundação da Smacna Chapter Brasil em 1993, pela iniciativa do Riccardo Diomelli, na qual, a convite, fui um dos sócios fundadores. O setor aprimorou-se através desta entidade a dinâmica do desenvolvimento tecnológico e com o Curso de Educação Continuada. E vem contribuindo de forma incontestável tendo à frente Osmar G. Silva, nosso vice-presidente executivo desde sua fundação”.

Vida associativa

Aureo lembra como começou sua vida associativa, atuando em diversas entidades ligadas ao comércio e mercado de AVAC-R.

“Herdei do meu pai, pois para acompanhar as tendências dos negócios, em 1946, a A Salles filiou-se a ACRJ - Associação Comercial do Rio de Janeiro, fundada em 1809, hoje presidida por Antenor Barros Leal, e que congrega as principais autoridades e empresários do Rio de Janeiro. Como sempre tive facilidade em me relacionar e conviver bem com a diversidade de cada pessoa, e incentivado pelo meu pai, fui tomando gosto por esse lado associativo e comecei a participar firme, hoje sou vice-presidente de patrimônio da ACRJ. Minha primeira experiência associativa ainda jovem foi junto com um grupo de amigos, na recuperação e coleção de carros antigos. No ar condicionado participei de forma atuante na diretoria do Sindratar do Rio de Janeiro. A convivência com pessoas é uma forma positiva para aprendermos muito, principalmente quando se toma a consciência da riqueza de cada ser humano e tratamos tudo sem espírito crítico. E acredito que por ter esse espírito respeitador, fui contemplado com o Troféu “Fair Play” em 2011, concedido pela Abrava/Smacna”, orgulha-se.

E pela segunda vez, Aureo foi eleito presidente da Abrava/Smacna, e assumirá em outubro próximo, em São Paulo, e já tem planos otimistas para sua gestão.

“Meu plano é dar continuidade ao excelente trabalho realizado por Samoel Vieira de Souza e Wadi Tadeu Neaime, últimos presidentes, procurando desenvolver participações com outras entidades e congregar com maior número empresas associadas da Smacna, dar continuidade ao programa de educação continuada para o aprimoramento de engenheiros e profissionais do mercado de AVAC-R”, diz.

Convívio familiar

Do mesmo modo que seu pai, Aureo orgulha-se de compartilhar os negócios com seus filhos.

“Já estamos na terceira geração, hoje a gestão é corporativa profissional, dois filhos trabalham na empresa o arquiteto Leonardo, que atua na área comercial, e o Alexandre na área administrativa. Meus outros filhos, Aureo Ricardo, é diretor de empresa de projetos e instalação de iluminação LED e a Danielle, advogada, ambos brilhantes, trabalharam positivamente muitos anos na A.Salles”, explica.

 

Aureo e Alexandre Auero e Leandro


Mas ele deixa claro que o convívio familiar não se dá somente na A Salles, faz questão de estar com a família, reunido com seus filhos e netos nos momentos de lazer, e se diz hoje um homem realizado!

Reconhecimentos conquistados

Diploma de Consagração Pública do RJ 1954;
Placa de Prata SINDRATAR/ABRAVA 1985;
Homenagem do Setor ABRAVA/SINDRATAR 1993;
Homenagem SMACNA 1998;
Troféu International Golden Construction Award - Madri 1998;
Obras Destaque do Ano SMACNA 1999/2000/2001/2002/2005;
Diploma do IME - Instituto Militar de Engenharia, pela participação na criação e patrocínio do 1º Curso Superior de Ar Condicionado, 2001;
Diploma de Benemérito da Associação Comercial do Rio de Janeiro, 2001;
Placa Honra ao Mérito do CEI Centro Educacional Integrado 2002;
Prêmio Qualidade Brasil 2002;
Placa Homenagem Trane 2002/2005/2006/2008;
Homenagem SESI/SENAI 2004 pelo apoio à formação técnica;
Olimpíada do Conhecimento - SENAI, Banca Examinadora, 2004.

 

 


Fonte: Ana Paula Basile Pinheiro

Entre para postar comentários

Mais nesta categoria:

Mantenedores

Topo