Mantenedores

Assunto foi tema de palestra realizada na sede da ASBRAV

A combinação de uma rígida legislação com tendências cada vez maiores de preocupação ambiental nas empresas está impulsionando o trabalho de substituição de gases nocivos ao meio ambiente presentes em sistemas de refrigeração e aparelhos de ar condicionado.

A preocupação maior é com a agressão à camada de ozônio. Alguns fluídos refrigerantes podem prejudicar o planeta e devem ser trocados, como determinam normas do governo brasileiro. A legislação limita a importação dos HCFCs - hidroclorofluorcarbonos - que causam impacto no meio ambiente. O R-22 é um dos gases frigoríficos mais utilizados e agrava o efeito estufa. Como esse processo de troca é gradual, cerca de 70% do mercado ainda o utiliza. A opção é a troca deste produto para o R-410-A. Além de não poluir, gera uma grande economia de energia, o que é favorável para as empresas. Segundo a engenheira de materiais da Dupont, Ana Beatriz Nascimento, a maioria das indústrias já possui essa visão.

Leia aqui sobre o SUVA da Dupont 

O ISCEON™ MO59 é um fluido refrigerante HFC, de fácil utilização e sem potencial de degradação da camada de ozônio. O ISCEON™ MO59 é alternativo ao R-22 em condicionadores de ar (AC) doméstico e comercial (temperatura média/expansão direta). O ISCEON™ MO59 é compatível com lubrificantes tradicionais e novos.

Classificação ASHRAE: R-417A 

Aplicações: Condicionadores de ar doméstico e comercial.
- Nota: Recomenda-se o ISCEON™ MO59 para condicionadores de ar de janela (ACJ) e para splits. 

Benefícios:

Proporciona Retrofit® fácil, rápido e de baixo custo.

HFC: sem potencial de degradação da camada de ozônio.
Sua utilização não será interrompida devido ao Protocolo de Montreal.

Página 6 de 8

Social

Topo