Mantenedores

RENABRAVA 5 - Parte 2 - Definições ABNT NBR 16069

3.2 Definições ABNT NBR 16069.

3.2.1 equipamento frigorífico  equipamento que compõe o sistema frigorífico, incluindo, mas não limitado a qualquer ou todos os seguintes componentes: compressor, condensador, tanque de líquido, evaporador e tubulação;

 

3.2.2 fluido secundário

 qualquer fluido intermediário usado para transferência de calor entre o sistema de refrigeração e um outro meio (por exemplo, ar ambiente, fluido de processo) com ou sem mudança de estado físico, tendo apenas um elemento pressurizador (por exemplo, bomba) para promover a circulação entre o circuito de refrigeração, a tubulação pela qual o fluido secundário circula e o elemento final de transferência de calor com o outro meio  (por exemplo, água, salmoura, soluções, CO2, gelo binário.);

 

3.2.3 profissional habilitado considera-se profissional legalmente habilitado o trabalhador previamente qualificado e com registro no competente conselho de classe;

 

3.2.4 pressão de projeto  pressão definida para determinar as características construtivas dos componentes do sistema frigorífico e que não deve ser menor que a pressão máxima de trabalho;

 

3.2.5 pressão máxima de trabalho admissível (PMTA) maior valor de pressão compatível com o código de projeto, a resistência dos materiais utilizados, as dimensões do equipamento e seus parâmetros operacionais;

 

3.2.6 pressão de saturação pressão na qual o vapor e o líquido coexistem em equilíbrio a uma dada temperatura;

 

3.2.7 sala de máquinas espaço projetado para abrigar toda a instalação frigorífica ou parte desta, de forma segura;

 

3.2.8 Ambientes de ocupação humana.

 

3.2.8.1 Ocupação institucional  é a área da qual seus ocupantes não podem ser rapidamente evacuados sem a assistência de outros, em virtude destes ocupantes serem deficientes, debilitados fisicamente ou confinados. A ocupação institucional inclui, entre outros, hospitais, clínicas, asilos e locais com celas de reclusão;

 

3.2.8.2 Local de reunião pública  é a área onde um número elevado de pessoas se reúne e da qual os ocupantes não podem deixar rapidamente o local por este ser de difícil evacuação. Tais como: auditórios, salas de jogos, salas de aulas, salas ou plataformas de embarque, salões de festas, restaurantes, teatros;

 

3.2.8.3 Ocupação residencial é a área que acomoda os ocupantes com as facilidades de vida independente, incluindo provisões permanentes para viver, dormir, comer, cozinhar e higienização pessoal. A ocupação residencial inclui, entre outros, dormitórios, hotéis, residências particulares;

 

3.2.8.4 Ocupação comercial é a área onde pessoas realizam negócios, pessoas são atendidas, compram alimentos e outras mercadorias. A ocupação comercial inclui edifícios de escritórios ou comerciais, pequenos restaurantes, mercados (mas não ocupações mercantis de grande porte) e áreas de trabalho e estocagem que não estão classificadas como ocupações industriais;

 

3.2.8.5 Ocupação mercantil de grande porte é a área onde mais de 100 pessoas se reúnem em níveis acima ou abaixo do nivel da rua.

 

 

3.2.8.6 Ocupação industrial

 

é a área que não está aberta ao público, onde o acesso de pessoas é controlado. Esta área é utilizada para fabricar, processar ou armazenar produtos, tais como: químicos, alimentícios, gelo, etc;

 

3.2.8.7 Ocupação mista. é a área onde dois ou mais tipos de ocupações estão localizadas no mesmo edifício. Quando um local está isolado do resto do edifício por paredes estanques, pisos e forros e por portas que  se fecham automaticamente, as exigências para cada ocupação devem ser as que se aplicam à sua classificação em particular;

 

3.3 Definições ABRAVA.

 

3.3.1 condicionador de ar (air conditioner) conjunto de equipamentos para o controle da temperatura, umidade, qualidade e movimentação do ar de um ambiente, são divididos em unidades de expansão direta, também chamados de unitários e de expansão indireta também chamados de aplicados;

 

3.3.2 sistema direto (system, (direct)  sistema de aquecimento de condicionamento de ar ou de refrigeração no quais elementos de aquecimento ou  produtos de combustão,  ou o fluido frigorífico, trocam calor diretamente com o material ou espaço aquecido ou resfriado, ou com o ar em uma passagem que comunica com tal espaço

 

3.3.2.1 condicionador de ar portátil equipamento com todo o circuito de refrigeração contido em um corpo único destinado a ser utilizado no interior do ambiente a ser condicionado, individual e único (zona simples de controle térmico), e realiza a rejeição de calor através de dutos flexíveis conectados a aberturas externas na parede ou janelas. Estes equipamentos não são fixos a parede ou piso e podem ser movimentados para qualquer ponto da residência onde seja prevista um par de aberturas para conexão de sua tomada e descarga de ar quente;

 

3.3.2.2 condicionador de ar compacto de janela equipamento com todo o circuito de refrigeração contido em um corpo único destinado a ser utilizado no interior do ambiente a ser condicionado, individual e único (zona simples de controle térmico). No entanto sua instalação requer que sejam embutidos em janelas ou parede de modo a que sua parte frontal fique no interior do ambiente condicionado e circule o ar destinado ao resfriamento/aquecimento, e sua parte traseira fique externa, permitindo a circulação de ar para rejeição/absorção de calor;

 

3.3.2.3 condicionador de ar dividido (mini split) equipamento dividido, onde o circuito de refrigeração é separado em duas unidades; uma interna do tipo parede, piso teto, cassete ou ou embutida com pequena rede de dutos, com pressão máxima de 10 mmca, sempre com motores elétricos monofásicos e externa que são interligadas por tubulação de fluido frigorífico e cabeamento elétrico formando um equipamento autossuficiente. Com capacidade máxima de 18 kW (60.000 BTU/h)

 

3.3.2.4 condicionador de ar dividido (multi split) equipamento dividido, onde o circuito de refrigeração é separado em duas ou mais unidades internas; do tipo parede, piso teto, cassete ou embutida com pequena rede de dutos, com pressão máxima de 10 mmca, sempre com motores elétricos monofásicos e uma única unidade externa com compressor de rotação variável que são interligadas por tubulação de fluido frigorífico e cabeamento elétrico formando um equipamento autossuficiente. Com capacidade máxima de 18 kW (60.000 BTU/h)

 

3.3.2.5 condicionador de ar compacto (self contained) condicionador de ar do tipo expansão direta autossuficiente instalado no interior da edificação em salas de máquinas ou diretamente no ambiente condicionado. A circulação de ar para a refrigeração do ambiente condicionado é promovida através de rede de dutos, grelhas, difusores ou caixa pleno. Pode ser configurado quanto a troca de calor com o meio externo da seguinte forma:  Ar: acoplado, condensador remoto e dividido e Água: acoplado e dividido. 

3.3.2.6 condicionador de ar dividido equipamento montado em fábrica, de expansão direta, composto de uma unidade interna, interligada a uma unidade externa que inclui um compressor;

 

3.3.2.7 condicionador de ar com condensador remoto equipamento montado em fábrica, de expansão direta, composto de uma unidade interna, que inclui um compressor e cujo condensador é instalado do lado externo;

 

3.3.2.8 condicionador de ar tipo roof top condicionador de ar do tipo expansão direta, com todo o circuito de refrigeração contido em corpo único, instalado ao tempo, sobre laje ou telhado da edificação. A circulação de ar para a refrigeração do ambiente condicionado é promovida através de rede de dutos, grelhas e difusores complementares definidos e executados conforme projeto específico;

 

3.3.2.9 condicionador de ar de múltiplas unidades internas interligadas a uma ou mais unidades externas (multi split) equipamento montado em fábrica, de expansão direta ,normalmente com fluxo de fluido frigorífico variável (VRF), constituído por duas ou mais unidades internas de pequena capacidade, instaladas dentro do ambiente, geralmente projetada para insuflação do ar por difusor incorporado ao gabinete, sem dutos, interligada a uma ou mais unidades externas;

 

3.3.3 sistema indireto (system, indirect)  sistema de aquecimento,  condicionamento de ar ou de refrigeração no qual o fluido, tal como ar, água ou salmoura, aquecido ou resfriado por elementos elétricos de aquecimento ou produtos de combustão ou por um refrigerante,  e circulado no material ou espaço a ser aquecido ou resfriado, ou é usado para aquecer ou resfriar o ar que assim circula;

 

3.3.3.1 refrigerador de água (chiller) equipamento de refrigeração usado para transferir calor entre fluídos. Sistema de refrigeração indireta constituído por compressor, condensador, evaporador e dispositivo de expansão com todos os controles de operação e de segurança;

 

3.3.3.2 condicionador de ar (fan & coil) equipamento feito e montado em fábrica composto de filtro, serpentina(s) e ventilador para tratamento do ar montado em um único gabinete;

 

3.3.3.3 unidade dentral de tratamento de ar (central-station airhandling unit) equipamento feito e montado em fábrica, consistindo de ventilador(es) e outros equipamentos ncessários, projetados para desempenhar uma ou mais funções de circulação, limpeza, aquecimento, umidificação, refrigeração, desumidificação e mistura do ar externo com o ar de retorno, mas que não inclui a fonte de aquecimento ou de refrigeração.

 

3.3.3.4 torre de resfriamento (cooling tower) dispositivo de rejeição de calor, normalmente em forma de torre, no qual o ar atmosférico reduz a temperatura da água de condensação, geralmente por contato dirto através da evaporação;

 

3.3.4 condicionador de ar residencial

equipamento completo e autossuficiente para resfriar/aquecer um ambiente residencial a ser condicionado para conforto humano. Podendo incluir componentes para a qualidade (filtragem e renovação) e distribuição do ar interior

 

 

Fonte: ABRAVA

Entre para postar comentários
Topo