Frio e conservação

Todas as substâncias são constituídas de átomos que se agrupam ordenadamente em moléculas. Uma das características principais desse agrupamento é o grau de agitação dessas partículas, que chamamos de calor. Quanto maior a energia no meio, maior o calor e maior a agitação e movimentação e, consequentemente o desgaste e a ação de microrganismos, respeitando-se um limite máximo.

O frio nada mais é do que escassez de calor. Por este motivo, um corpo frio tem uma atividade molecular reduzida, o que desacelera os processos de decomposição e acabar por aumentar a vida útil do que é refrigerado.

Baixas temperaturas diminuem as funções vitais dos organismos que se baseiam na atividade molecular dos seus constituintes. Frio intenso, inverno, gelo diminuem a atividade vital dos organismos animais e vegetais e graças a esta propriedade, uma justa dose de frio conserva os alimentos.

Na prática, não se produz frio: se desloca calor.

O sistema de refrigeração nada mais é do que uma máquina capaz de manter no interior de um armário ou de uma câmara uma temperatura inferior aquela do ambiente externo. Isto não significa produzir frio, mas deslocar calor.

 

Paulo Neulaender  

Entre para postar comentários

Mantenedores

Topo