Hidrodinâmica e lubrificação

Em um motor, as superfícies de deslizamentos são separadas por uma película relativamente espessa e contínua de fluído lubrificante.

A injeção de fluído lubrificante no sistema, em um maquinário com a manutenção em dia, acontecerá apenas uma fração de segundo após a partida. Se não houver lubrificação suficiente ocorrerá atrito desnecessário entre as peças e, consequentemente, desgaste acelerado do equipamento.

Miscibilidade e solubilidade

 

O lubrificante ideal para cada situação deve ser determinado levando-se em conta vários fatores. Não basta o lubrificante ter boa viscosidade e propriedades de lubrificação. O ambiente no qual ele será aplicado deve ser estudado e levado em consideração, pois a solubilidade a miscibilidade dos fluídos refrigerantes que estarão em contato com o equipamento podem interferir na qualidade do lubrificante aplicado.

A situação ideal é impedir a entrada de fluído lubrificante no restante do circuito de refrigeração. Infelizmente, os sistemas ainda não são ideais e a migração de lubrificante para o setor de alta pressão do circuito ocorre com uma certa frequência. Por isso é necessário estudar e entender as dinâmicas do lubrificante, afim de minimizar os riscos e diminuir os custos.

 

Paulo Neulaender

Fonte: você sabia Abrava

Entre para postar comentários

Mantenedores

Topo