Em um motor, as superfícies de deslizamentos são separadas por uma película relativamente espessa e contínua de fluído lubrificante.

Escolhendo corretamente o óleo base

Ao contrário de muitas aplicações industriais e de motor que normalmente focam na viscosidade do óleo base como o fator de decisão, lubrificantes utilizados em aplicações de refrigeração e ar condicionado têm outros critérios que influenciam na escolha do lubrificante. O fluído refrigerante utilizado irá determinar qual a direção a ser seguida quanto ao tipo de lubrificante básico, e então caberá ao engenheiro, com base na concepção do compressor, solicitar e fornecer os dados necessários para efetuar avaliações adicionais. É nesse momento que se torna crítico para uma empresa de lubrificantes como a Shrieve fornecer experiência técnica, equipamentos de teste e dados que ajudam a conduzir o processo de aprovação de óleo junto aos fabricantes de compressores (OEM) e posteriormente no uso do lubrificante no mercado de pós-venda. A Shrieve tem uma extensa linha de lubrificantes para atender aos vários critérios de projeto, e uma lista de lubrificantes disponíveis, incluindo: Polialquileno Glicol (PAG); Alquilbenzeno (AB); Poliól éster (POE); Polialfaolefina (PAO); Óleos minerais (MO).

Lubrificantes para rolamentos com design específicos

Atualmente, o mercado de refrigeração e ar condicionado usa aproximadamente cinco mecanismos de compressão predominantes, com diferentes configurações e tamanhos dentro de cada tipo. Para cada tipo específico de compressor podem existir muitas tecnologias de rolamentos diferentes e para a escolha correta do lubrificante deve-se levar em conta esta complexidade. O lubrificante também precisa ser selecionado de acordo com o tipo de refrigerante usado, o tipo de lubrificante adequado pode mudar para diferentes tipos de refrigerante, mesmo dentro do mesmo projeto de compressor e rolamentos. Independentemente da base química do lubrificante, e para a maioria dos projetos, a viscosidade do lubrificante base pode ser utilizada como uma primeira abordagem para fazer a escolha certa do lubrificante. A Tabela 1 abaixo mostra uma regra geral baseada no tipo de compressor.

No circuito refrigerante a presença de lubrificante é inevitável. Mesmo em sistemas de baixas temperaturas nos quais são instalados separadores de óleo, é importante dentro do circuito ter baixa quantidade de óleo. Desta forma, evitaremos a redução de eficiência no trocador de calor (evaporador); muitas vezes este volume a mais de lubrificante pode agir como um isolante térmico internamente, no tubo do trocador de calor.

Mantenedores

Topo