O organismo humano deve, por necessidade de vida, gastar no ambiente no qual vive uma certa quantidade de energia calorífica.

Normalmente a dispersão acontece com a emissão de calor sensível por convecção, resfriamento da superfície do corpo em contato com o ar que o circunda, se for mais fria e por radiação, transmissão do calor das paredes e objetos circunstantes.

Uma outra parte do calor é espalhada sob forma latente, por evaporação na superfície externa do corpo de secreções glandulares, o suor; na superfície úmida de todas as vias respiratórias e dos pulmões, com a emissão de ar que tem um conteúdo absoluto de umidade maior daquele do ar inspirado.

O organismo humano também é provido de uma faculdade natural de adaptação térmica: a quantidade de calor a ser liberada que, dentro de certos limites, pode-se verificar o equilíbrio somente no nível superior ou inferior aquele ideal a ele, percebendo respectivamente uma sensação de frio ou de calor que são desagradáveis.

Determinada a quantidade total de calor produzido e a proporção de sua dispersão intervem nos seguintes fatores:

  • Temperatura do ar de circunda o individuo;
  • Velocidade relativa do ar em contato com a superfície do corpo a ele exposta;
  • Temperatura das paredes e dos objetos no ambiente;
  • Tensão de vapor de ar;
  • Proteção térmica do corpo.

 

Algumas dicas importantes para otimizar o uso do ar condicionado automotivo e garantir uma vida útil prolongada ao seu aparelho.

Ar Condicionado

É a combinação dos equipamentos do conjunto através da mudança de posicionamento de “portinholas” de direcionamento de ar, acionamento de eletro válvulas e ou sinais elétricos para determinados componentes do painel de comando e atuadores. Para obtermos a condição mais adequada de conforto dentro do veículo tanto no inverno como no verão com ar totalmente frio, morno ou aquecido.

Página 1 de 3

Mantenedores

Topo