Mantenedores

O compressor é o coração do sistema de refrigeração, pois fornece o trabalho necessário para manter em funcionamento o ciclo. Sua obrigação é um fornecimento ao condensador um fluido refrigerante à alta pressão, para tornar viável a liquefação à uma temperatura que seja técnica e economicamente possível manter sem condensador.

 

Quando o compressor é instalado e exposto a uma temperatura ambiente mais fria, por volta de 4,4°C menor que a temperatura do evaporador, ocorre o que chamamos de migração de fluído refrigerante para o cárter do compressor. Isso devido à diferença de pressão resultante entre o evaporador e o compressor quando este se encontra desligado.
Com o fim de estabelecer uma proteção contra esta possibilidade de defeito (migração), se emprega com frequência o uso de aquecedores/resistências de cárter que mantém o óleo no cárter do compressor a uma temperatura suficientemente elevada (não exagerada que faça o óleo queimar, nem tão fria que não seja suficiente para evaporar o fluido refrigerante que penetre o cárter) criando uma pressão suficiente que evite a migração em grande escala.

No artigo anterior vimos que uma das soluções propostas a limpeza de sistemas que tiveram um compressor queimado era o uso de filtro secadores de valor menor do que  40 microns convencionais de marcado (filtros de alta performance). http://www.ambientegelado.com.br/artigos-tecnicos/circuito-da-refrigeracao/compressores/1066-compressores-queimados-o-que-fazer-parte-1-2

Neste artigo falaremos sobre algumas recomendações e etapas do procedimento de limpeza em sistemas que tiveram um compressor queimado.

Passo 1: Recuperação do Refrigerante

Em todos os sistemas de AVAC-R a carga de fluído refrigerante pode ser recuperada se o volume para armazenamento utilizada pelo técnico assim o permitir. Uma das práticas menos realizadas pelas empresas de AVAC-R, em todo o Brasil, é  a reciclam, recolhimento, regeneração e reaproveitamento do fluído refrigerante extraído de um sistema. No Brasil, existem diversas empresas que podem fornecer recolhedoras de fluído refrigerante e outras empresas que trabalham com a recilagem e regeneração destes fluídos. Se você não sabia disso, vale a pena procurar na internet.

Passo 2: Retirada dos filtros secadores originais

Ao abrir um sistema que sofreu uma queima de compressor é necessário fazer algumas análises além de simplesmente trocar os filtros secadores originais por outros de alta performance. Veja, a sujeira causada dentro do sistema por esta queima irá se acumular principalmente nos pequenos orificios no trajeto do ciclo termodinâmico. Então basicamente o resumo é o seguinte: Capilares podem entupir, assim como válvulas de expansão ou valvulas solenóides, aquele pequeno furo dentro do acumulador de sucção pode vir a entupir causando acúmulo de óleo lubrificante (exemplo: Rack de supermercados) além de outros problemas. Aqui vale a recomendação de todos os fabricantes de máquinas: Não reaproveite de modo algum os filtros secadores já instalados!

Passo 3: Instalação dos filtros secadores de alta performance

Ao trocar o filtro secador original, não necessáriamente o técnico deve seguir a originalidade da peça, se no mercado já existe um filtro melhor a ser aplicado. Este é o caso dos filtros de alta perfomance de 20 microns. A Emerson, possui a série EK que em questão de filtragem é imbátivel se comparada à filtragem de outros filtros secadores convencionais de mercado. Outro ponto é a instalação de um ponto com schraeder adiante ao filtro secador para tomada de pressão. Isso facilitará a verificação de queda de pressão através do filtro secador.


Mas o que significa este 20 microns num filtro secador? Todo o filtro secador é vendido por sua capacidade, tamanhos de conexões e por um valor de mercado em mícrons que remete a capacidade de um filtro efetivamente filtrar pequenas impurezas dentro do sistema termodinâmico. Abaixo podemos ver que a tela de um filtro secados padrão de mercado possui uma rede de 40 microns (à esquerda) ou seja, se a impureza for de 39 microns a mesma não será filtrada e poderá se encrostar nas paredes de pequenas passagens como é o caso de válvulas de expansão e tubos capilares.

Já no filtro a direita, vemos um filtro de alta performance de 20 micros, ou seja, uma rede mais fina que só permitirá passagem de impurezas de 19 microns ou impurezas menores que este valor. Isso faz com que o tempo de encrostamente leve muito mais tempo para bloquear passagens de pequenos diâmetros.

Se você nunca ouviu falar de filtros de alta perfomance veja o vídeo no link abaixo e compare-os com os filtros de núcleo sólido normalmente utilizados em campo. Você vai preferí-los sem dúvida!

(Acesse aui para saber mais: https://www.youtube.com/watch?v=5OtmSbBAmCY)

Passo 4: Revisão dos circuitos elétricos

Toda fiação elétrica e conexões deve ser inspecionada, bem como apertada caso haja necessidade. Não tente salvar, nem reaproveitar, componentes ou conexões elétricas com terminais gastos. Sempre substitua-os. Se um problema elétrico foi o responsável pela queima do compressor original da máquina e, não for corrigido; este mesmo defeito irá causar a perda do compressor substituto depois de um tempo.

Passo 5: Colocação em operação

O sistema deve ser colocado em operação após as devidas correções, porém este não é o final do trabalho. Deve-se observar a operação do sistema por pelo menos 2 horas. Isso porque a medida que o sistema entra em operação os contaminantes não limpos do sistema começarão a ser filtrados, causando uma queda de pressão através do filtro secador na linha de sucção. Se a queda de pressão aumentar a um ponto tal que exceda o limite máximo recomendado, o filtro secador deverá ser trocado.

Passo 6: Revisão das primeiras 48 horas

Após uma queima de compressor é recomendadod ao instalador que acompanhe o funcionamento do sistema durante 48 horas. Isto porque os contaminantes existentes da primeira quebra podem gerar ácido, fazendo com que o óleo lubrificante seja afetado na sua coloração e cheiro (caso a queima seja muito severa será necessário trocar o filtro secador se a pressão de sucção cair muito e também o óleo do compressor dentro deste período). Depois de 48 horas, o óleo lubrificante deverá ser revisado e  o filtro secador substituído até que o óleo lubrificante permaneça limpo, livre de odor e com a cor adequada ao óleo novo.

Passo 7: Outros cuidados adicionais

Realizar um teste de acidez no óleo lubrificante é sempre uma boa prática que é recomendada por vários, se não todos, os fabricantes. Os testes podem mostrar aos técnicos, através da comparação da colocaração do óleo e uma tabela de cores (abaixo) se o óleo lubrificante foi exposto a contaminação ou não.


Como conclusão, devemos refletir sobre o que devemos fazer após a queima dos compressores. De forma alguma podemos ver uma queima como uma parte separada de todo o sistema. Realizar as boas práticas não é um modismo do setor, mas sim uma prática que reflete o bom serviço prestado por um bom profissional do nosso setor ao cliente e ususários finais.

Fernando C. Madalena | Supervisor de Suporte Técnico e Treinamento | Brasil

Emerson Commercial & Residential Solutions

Av Hollingworth, 325 | Sorocaba | SP | 18087-105 | Brazil

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Página 1 de 4

Social

Topo